Sempre penso em você. Dói saber que estamos longe e que, talvez, nunca estaremos perto. Você sabe do que eu falo, ninguém entende, mas nós sabemos. E eu fico pensando: eles nem precisam saber, é impossível explicar sentimentos. Eu só queria que você pudesse sentir que, mesmo com o passar do tempo, todo o meu coração ainda te pertence. Essa frase é forte, eu sei. É impossível te esquecer, você sabe? Eu queria que tudo fosse como antes, naquele tempo em que eu te sentia perto. Hoje te sinto longe. Você sempre esteve no mesmo lugar, a diferença é que acho que não faço mais parte da sua vida como antes. Não sei se faço. Fiquei pensando nisso e aí começou a doer mais e eu me perguntei o que será que é pior e não soube responder. Será que o pior é a distância, será que o pior é eu não ser mais tão presente assim em você; será, será. Eu sempre odiei o “será”. Sei que você tem outra pessoa, mas vou te contar: isso me dói tanto! É incrível, essas coisas não me doíam. Eu sentia saudade e saudade e vontade e vontade de estar perto e junto e com você e nós tínhamos tantos sonhos e coisas bonitas em papéis espalhados. Hoje eu sinto uma saudade em preto e branco. E quando eu penso que você tem outra pessoa o meu coração vai diminuindo e encolhendo cada vez mais. Enquanto eu estava olhando as estrelas pensei: ele deve estar no meio de um sonho bom. E ela deve estar dormindo abraçada nele. Voltei pra cama e abracei o travesseiro. E continuei pensando em como tudo era bom. Em como tudo era pra ser bom. Aí veio uma lágrima. E outra, outra, outra. Inevitável. Você sabe que eu sempre fui chorona. Talvez eu tenha uma visão muito romântica das coisas. Talvez eu ainda não tenha me convencido que você nunca sentiu da mesma forma que eu. Ou talvez eu não encontre explicação pra uma história dessas. Por quê? De qualquer forma o nosso encontro está marcado para a próxima vida, você sabe. Saiba também que nessa eu vou continuar te amando. Pra sempre.Clarissa Corrêa.